EUA não vão mudar o nível de alerta para ataque nuclear, diz Casa Branca

Os EUA não estão mudando o nível de alerta em resposta à diretiva de Vladimir Putin de transferir as armas nucleares da Rússia para um “modo especial de dever de combate”, disse a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki na segunda-feira (28).

Durante seu briefing diário, Psaki condenou a retórica “perigosa” de Putin, dizendo que tais táticas aumentam “o risco de erro de cálculo” e devem ser evitadas.

“Estamos avaliando a diretiva do presidente Putin e, neste momento, não vemos razão para alterar nossos próprios níveis de alerta”, disse Psaki a repórteres.

“Mas também é importante lembrar que, mesmo ao longo dos últimos meses e anos, quando tivemos divergências significativas com a Rússia sobre uma série de questões, a Rússia e os Estados Unidos concordaram há muito tempo que o uso nuclear teria consequências devastadoras.”

Um repórter gritou na direção de Biden na segunda-feira para perguntar se os americanos deveriam se preocupar com a ameaça de uma guerra nuclear.

“Não”, respondeu Biden.

FORÇAS NUCLEARES EM ALERTA. O presidente russo, Vladimir Putin, ordenou que as forças de dissuasão nuclear sejam colocadas em alerta máximo no domingo (27), conforme noticiou o Direto da América.

Putin ordenou que o ministro da Defesa russo e o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas colocassem as forças de dissuasão nuclear em um “regime especial de dever de combate”.

A medida sinaliza que as tensões podem se transformar em uma guerra nuclear.

“Os países ocidentais não estão apenas tomando ações hostis contra nosso país na esfera econômica, mas altos funcionários dos principais membros da OTAN fizeram declarações agressivas sobre nosso país”, disse Putin em uma declaração televisionada, segundo a Associated Press.

LEIA TAMBÉM

Leia também