EUA confirma caso de varíola em Massachusetts; Canadá investiga 13 casos

Os Estados Unidos confirmaram na quarta-feira, 18 de maio, um caso de varíola em um homem que viajou recentemente para o Canadá; autoridades de saúde europeias confirmaram dezenas de casos no início desta semana.

A doença geralmente começa com sintomas semelhantes aos da gripe, como febre, dor muscular e linfonodos inchados, antes de causar uma erupção semelhante à catapora no rosto e no corpo, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA.

As autoridades de saúde pública da cidade de Montreal, em Quebec, no Canadá, estão investigando pelo menos 13 casos, informou a emissora pública CBC, acrescentando que eles foram sinalizados após diagnósticos terem sido feitos em várias clínicas especializadas em infecções sexualmente transmissíveis e transmitidas pelo sangue.

As autoridades de saúde de Massachusetts e o CDC confirmaram o primeiro caso do país este ano na quarta-feira.

“O caso não representa risco para o público e o indivíduo está hospitalizado e em boas condições”, disse o Departamento de Saúde de Massachusetts em comunicado.

O residente foi admitido no Massachusetts General Hospital em Boston em 12 de maio e “durante o curso de sua admissão, ele foi identificado como um possível [caso] suspeito de varíola”, disse Erica Shenoy, chefe adjunta da unidade de controle de infecção do hospital, a repórteres durante um briefing na quarta-feira.

A doença pode se espalhar pelo contato com fluidos corporais ou feridas de uma pessoa infectada ou “itens compartilhados (como roupas e roupas de cama) que foram contaminados”, segundo o CDC, acrescentando que desinfetantes domésticos podem matar o vírus.

Muitos dos casos relatados, incluindo clusters detectados nas últimas duas semanas em Portugal, Espanha e Grã-Bretanha – onde a varíola dos macacos é incomum – “estão ocorrendo dentro de redes sexuais”, disse Inger Damon, especialista em varíola do CDC, em um comunicado da agência.

Vários dos casos europeus foram detectados em homens que fazem sexo com homens, embora o CDC tenha ressaltado que “qualquer pessoa, independentemente da orientação sexual, pode espalhar a varíola dos macacos”.

Em julho de 2021, um caso foi confirmado em um residente do Texas que havia retornado da Nigéria e em novembro de 2021, outro caso foi encontrado em um residente de Maryland que também havia viajado para a Nigéria.

LEIA TAMBÉM

Leia também