Biden suspende imposto da gasolina, economia de 6% após 107% de aumento desde a posse

O presidente democrata Joe Biden anunciou nesta quarta-feira, 22 de junho, uma suspensão temporária nos impostos federais sobre os combustíveis em uma manobra classificada no passado como “truque” por Barack Obama.

A suspensão, que deve durar apenas pelos próximos três meses, durante o verão no hemisfério norte, vai gerar uma economia de 0,18 centavos de dólar por galão — ou 0,04 centavos de dólar por litro — o que equivale a uma economia de apenas 6% após o preço da gasolina ter disparado 107% desde a posse de Biden, em janeiro de 2021.

Em 20 de janeiro de 2021, dia em que o democrata tomou posse em Washington DC, o preço médio da gasolina nos Estados Unidos era de US$ 2.39. Em 22 de junho de 2022, a média nacional apurada pela AAA era de US$ 4.95 por galão.

Bem antes da Rússia

Apesar do presidente Joe Biden e seu gabinete repetir nas últimas semanas que o aumento no preço da gasolina nos EUA é culpa da invasão russa na Ucrânia, o preço da gasolina nos EUA já havia subido 37%, — alcançando US$ 3.28 o galão — em dezembro de 2021, também segundo a AAA.

Em janeiro de 2022, cerca de um mês antes da invasão russa em território ucraniano, o preço da gasolina nos EUA bateu em US$ 3.36, um aumento de 40,5% em comparação com janeiro de 2021

Obama: ‘truque eleitoral’

Em 2008, Barack Obama chamou a proposta de isenção do imposto sobre a gasolina de “um truque tão óbvio para o ano eleitoral… A Pelosi disse que é contra o truque do imposto porque não vai repassar a economia aos consumidores”.

A presidente da Câmara, a democrata Nancy Pelosi, também criticou a prática mais recentemente, em março de 2022.

Nancy Pelosi: ‘showbiz’

“A vantagem [em suspender temporariamente os impostos] é muito ‘showbiz’, ok? Vamos fazer alguma coisa, aí está. Mas não vai necessariamente chegar ao bolso do consumidor.”, disse Pelosi.

Mais críticas democratas

“Embora bem-intencionada, essa política, na melhor das hipóteses, alcançaria apenas um alívio minúsculo ao mesmo tempo que abre um buraco de US$ 10 bilhões no Fundo para Rodovias que precisaria ser compensado se quisermos continuar consertando pontes em ruínas, lidar com o aumento das mortes no trânsito e construir um sistema de infraestrutura moderno”, disse o deputado democrata Peter Defazio (D-OREGON) em comunicado à imprensa.

Fed rompe com narrativa da Casa Branca

O presidente do Fed, o banco central americano, rompeu na quarta-feira, 22 de junho, com a narrativa oficial da Casa Branca de que a inflação nos EUA é culpa da Rússia.

Jerome Powell disse em depoimento no Senado americano que a inflação já estava alta ‘certamente antes do início da guerra’.

LEIA TAMBÉM

Leia também