AT&T e Verizon liberam 5G nos EUA, exceto próximo de aeroportos após alerta de “consequências catastróficas”

As gigantes norte-americanas de telecomunicação AT&T e Verizon iniciaram na quarta-feira (19) o serviço 5G nos Estados Unidos, adiando temporariamente a liberação do sinal em torres próximas de determinados aeroportos do país.

Diversas companhias aéreas internacionais cancelaram temporariamente alguns voos de e para os Estados Unidos na quarta-feira (19); várias planejam retomar o serviço já na quinta-feira.

A companhia japonesa ANA e a Japan Airlines estavam entre as principais companhias aéreas a anunciar cancelamentos de voos devido a preocupações com o lançamento do 5G.

“A Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA) indicou que as ondas de rádio do serviço sem fio 5G podem interferir nos altímetros das aeronaves”, disse a ANA em comunicado.

“Como resultado, a Boeing anunciou restrições de voo em todas as companhias aéreas que operam a aeronave Boeing 777 e cancelamos ou alteramos a aeronave para alguns voos de/para os EUA com base no anúncio da Boeing”, disse.

A Emirates anunciou que suspenderia a maioria dos voos para os Estados Unidos devido ao lançamento planejado do 5G para esta quarta-feira. Os voos estão suspensos para todos os destinos nos Estados Unidos, exceto Los Angeles (LAX), Nova York (JFK) e Washington (IAD).

“Devido a preocupações operacionais associadas à implantação planejada de serviços de rede móvel 5G nos EUA em determinados aeroportos, a Emirates suspenderá voos para os seguintes destinos dos EUA a partir de 19 de janeiro de 2022 até novo aviso:

Boston (BOS), Chicago (ORD), Dallas Fort Worth (DFW), Houston (IAH), Miami (MIA), Newark (EWR), Orlando (MCO), San Francisco (SFO) e Seattle (SEA).

Os clientes titulares de passagens com destino final para qualquer um dos itens acima não serão aceitos no ponto de origem.

Os voos da Emirates para Nova York JFK, Los Angeles (LAX) e Washington DC (IAD) continuam operando conforme o programado.”, disse a companhia em memorando aos seus funcionários na terça-feira.

“Esta é uma das questões mais delinquentes e totalmente irresponsáveis – chame como quiser – que já vi em minha carreira na aviação”, disse o presidente da Emirates, Tim Clark, durante uma entrevista à CNN.

LEIA TAMBÉM: No Canadá, caminhoneiros bloqueiam faixas na fronteira com EUA em ato contra obrigatoriedade de vacina

“Alguém deveria ter dito a eles há muito tempo que isso comprometeria a segurança da operação de aeronaves em áreas metropolitanas, com consequências catastróficas, se fosse permitido seguir adiante. Acho que essa mensagem foi transmitida em um estágio muito, muito tardio”, acrescentou Clark.

Durante a entrevista, Clark disse que a Emirates não estava ciente do escopo do problema até pouco antes do início da implantação do 5G.

“Nós não estávamos cientes disso até ontem de manhã, na medida em que isso comprometeria a segurança da operação de nossas aeronaves e praticamente todos os outros operadores de 777 de e para os Estados Unidos e dentro dos Estados Unidos”.

A FAA (agência regulatória da aviação civil americana) alertou que os sinais 5G podem interferir nos medidores de altitude que alguns modelos de aviões usam para realizar pousos em condições de baixa visibilidade.

A AT&T e a Verizon concordaram em adiar temporariamente a implantação de redes 5G em áreas próximas aos principais aeroportos dos EUA. A decisão foi tomada após protestos de CEOs de companhias aéreas dos EUA, que alertaram que o lançamento poderia causar caos em rotas aéreas domésticas, incluindo cancelamentos generalizados de voos.

A AT&T descreveu o adiamento como voluntário e temporário, com um porta-voz dizendo que estava trabalhando com o setor aéreo e a FAA “para fornecer mais informações sobre nossa implantação 5G, já que eles não utilizaram os dois anos que tiveram para planejar com responsabilidade esta implantação.”

“Estamos lançando nossos serviços 5G avançados em todos os outros lugares, conforme planejado, com exceção temporária desse número limitado de torres”.

A Verizon disse que a empresa iniciaria o serviço 5G na quarta-feira para cerca de 90 milhões de americanos, mas a empresa “decidiu voluntariamente limitar nossa rede 5G em torno dos aeroportos”.

“A Administração Federal de Aviação e as companhias aéreas de nosso país não conseguiram resolver totalmente a navegação 5G nos aeroportos, apesar de ser seguro e totalmente operacional em mais de 40 outros países”, disse a Verizon.

Os cancelamentos, porém, não parecem ter comprometido a operação de rotas aéreas no país, segundo as estatísticas do FlightAware. Às 3:20 pm EST o site registrava 270 cancelamentos nos EUA, contra 280 em toda terça-feira.

- PUBLICIDADE -

ÚLTIMAS