Agência federal americana identifica nove vulnerabilidades em voto eletrônico

A agência federal de cyber segurança CISA alertou em relatório que deve ser tornado público na sexta-feira, 3 de junho, que há vulnerabilidades identificadas no sistema eletrônico de votação em 16 estados americanos.

A informação foi obtida pela Associated Press detalha nove vulnerabilidades e sugere medidas de proteção para prevenir ou detectar sua exploração.

O diretor-executivo da CISA, Brandon Wales, disse em comunicado que “os procedimentos padrão de segurança eleitoral dos estados detectariam a exploração dessas vulnerabilidades e, em muitos casos, impediriam totalmente as tentativas”. No entanto, o aviso parece sugerir que os estados não estão fazendo o suficiente. Ele pede medidas imediatas de mitigação, incluindo “medidas defensivas contínuas e aprimoradas para reduzir o risco de exploração dessas vulnerabilidades”.

Essas medidas precisam ser aplicadas antes de cada eleição, diz o comunicado, e está claro que isso não está acontecendo em todos os estados que usam as máquinas.

A análise da CISA é de uma avaliação de segurança dos dispositivos de marcação de votos da Dominion Voting Systems feita por um cientista da computação da Universidade de Michigan a pedido da acusação em um processo de longa data contra o Secretário de Estado da Geórgia.

Onda vermelha é esperada em novembro

A notícia vem meses antes das eleições de midterms nos EUA que, segundo muitos analistas, pode gerar uma onda vermelha (republicana) foto para as duas né quando as roupas nenenzinho também perigoso viu ontem está lá na instalando a dormir na porta daquele que tocar bateria née devolver o controle do Senado e Câmara aos republicanos. Republicanos também têm grandes chances de vencer em importantes disputas estaduais.

Especialistas defendem voto impresso

O cientista da computação da Universidade de Michigan, J. Alex Halderman, que escreveu o relatório no qual o comunicado se baseia, há muito argumenta que o uso de tecnologia digital para registrar votos é perigoso porque os computadores são inerentemente vulneráveis a hackers e, portanto, exigem várias salvaguardas que não são uniformemente seguido. Ele e muitos outros especialistas em segurança eleitoral insistiram que o uso de cédulas de papel marcadas à mão é o método mais seguro de votação e a única opção que permite auditorias pós-eleitorais significativas.

“A existência de uma vulnerabilidade na tecnologia eleitoral não é evidência de que a vulnerabilidade foi explorada ou que os resultados de uma eleição foram impactados”, diz a CISA em sua página Rumor Control.

Halderman escreveu também um relatório divulgado pelo Departamento de Estado de Michigan argumentando que um erro humano levou a erros de tabulação antecipada no condado de Antrim nas eleições de 2020. Embora Halderman tenha reconhecido vulnerabilidades na tecnologia eleitoral, ele enfatizou que “não há evidências de que algum desses problemas tenha sido explorado no condado de Antrim”.

Polícia de Michigan apreende urna eletrônica

A polícia estadual realizou uma operação em um município no oeste de Michigan como parte de uma investigação sobre relatos de acesso não autorizado a máquinas de votação após a eleição de 2020.

Uma urna foi apreendida no município de Irving no início de maio de 2022 disse a secretária do condado de Barry, Pamela Palmer, à CNN

A Polícia Estadual de Michigan abriu investigação sobre possíveis violações de urnas em fevereiro deste ano, depois que o Gabinete da Secretária de Estado avisou que um terceiro não identificado foi autorizado a acessar componentes e tecnologia de tabulação de votos no condado de Roscommon.

A Polícia Estadual de Michigan diz que as vulnerabilidades não afetaram as eleições de 2020.

LEIA TAMBÉM

Leia também