6/1: Ex-assessora diz que Trump quis agarrar volante de carro presidencial e ir até o Capitólio; Agentes negam e se oferecem para depor

A assessora do chefe de gabinete do então presidente Donald Trump, Cassidy Hutchinson, testemunhou sob juramento no Congresso dos EUA que ouviu que Donald Trump queria tanto ir ao Capitólio em 6/1 que ele se lançou para agarrar o volante da limusine presidencial e depois colocou as mãos em um agente do Serviço Secreto quando o levaram de volta para a Casa Branca.

O depoimento chamou atenção uma vez que tal atitude seria impossível já que o presidente dos EUA jamais senta no banco do passageiro do carro presidencial e que entre o presidente e o motorista, além de uma grande distância, há uma barreira blindada para protegê-lo de qualquer ataque.

O depoimento de Cassidy foi feito na terça-feira, 28 de junho, ao Comitê do Congresso americano que supostamente investiga os atos de 6 de janeiro de 2021. O comitê é formado somente por democratas e republicanos fortemente contrários ao ex-presidente.

Agentes do Serviço Secreto Negam

Horas depois, segundo jornalista da NBC News, “Ambos, Bobby Engel, o principal agente, e o motorista da limusine/SUV presidencial estão preparados para testemunhar sob juramento que nenhum dos dois foi agredido e que o Sr. Trump nunca pulou para o volante.”

Trump

O ex-presidente Donald Trump, em uma mensagem publicada na rede Truth Social, disse que “Eu mal sei quem é essa pessoa, Cassidy Hutchinson, a não ser que ouvi coisas muito negativas sobre ela (totalmente falsa e “vazadora”), e quando ela pediu para ir com alguns outros da equipe para a Flórida depois de eu ter servido um mandato completo, eu pessoalmente recusei seu pedido. Por que ela queria ir conosco se ela achava que éramos tão terríveis? Eu entendo que ela estava muito chateada e irritada por eu não querer que ela fosse um membro da equipe. Ela é uma má notícia!”

DDDDDDD

LEIA TAMBÉM

Leia também