No Canadá, caminhoneiros bloqueiam faixas na fronteira com EUA em ato contra obrigatoriedade de vacina

Caminhoneiros canadenses começaram na segunda-feira (17) a bloquear faixas de tráfego da Highway 75 perto da fronteira internacional com os Estados Unidos para protestar contra o passaporte da vacina mirando a categoria.

“Precisamos acabar com todas essas ordens totalitárias que nosso governo nos impôs nos últimos dois anos”, disse Rick Wall, que organizou os bloqueios na segunda-feira. “O ato é feito por caminhoneiros, mas estamos pedindo para acabar com todas as ordens para cada ser humano neste país, não apenas para nós. É extremamente frustrante.”

Sob as novas regras, os caminhoneiros canadenses não vacinados que retornam dos EUA precisam ficar em casa por quase duas semanas antes de fazer outra corrida.

“Isso não paga as contas”, disse Wall, presidente de uma empresa de caminhões com sede em Winkler, uma região com algumas das menores taxas de vacinação da província.

O caminhoneiro Jamie Throp diz que levou 30 minutos para chegar à fronteira com o protesto.

“Os caminhoneiros estão circulando a MB-75 entre o Emerson Duty Free e a estação de inspeção comercial, bloqueando todas as pistas que seguem para o sul dos Estados Unidos e o tráfego no sentido norte vindo dos EUA”, disse Throp.

As autoridades canadenses confirmaram os atos no Twitter. “Uma manifestação envolvendo um grande número de veículos está afetando o tráfego na #MBHwy75 perto do Ponto de Entrada de Emerson. Ambas as faixas norte e sul são afetadas. Por favor, dirija com cuidado se você estiver na área e espere por atrasos. #rcmpmb está no local e monitorando.”

Desde 15 de janeiro, as novas regras federais obrigam caminhoneiros canadenses que retornam dos EUA a ficarem em quarentena se não estiverem vacinados contra o COVID-19. Uma ordem americana semelhante está programada para entrar em vigor em 22 de janeiro, obrigando que todos motoristas que entrem nos EUA também estejam vacinados.

LEIA TAMBÉM: Homens entre 18 e 45 anos morrem mais por overdose do que COVID-19 nos EUA

Perrin Beatty, presidente da Câmara de Comércio Canadense, disse que a interrupção causada pela ordem canadense será visível em todo o país.

“Veremos escassez de mercadorias nas lojas”, disse Beatty.

Nos Estados Unidos, entre 50% a 60% dos caminhoneiros americanos estão vacinados, de acordo com uma estimativa da American Trucking Association. As regras tornarão milhares de motoristas inelegíveis para fretes internacionais, exacerbando a escassez de alimentos e bens em um momento em que o setor de transporte já está sobrecarregado.

A obrigatoriedade de vacinação para motoristas de caminhão provavelmente aumentarão o custo da produção.

O custo do transporte de frutas da Califórnia e Arizona para o Canadá subiu 25% na semana passada, disse o CEO da Canadawide Fruits, George Pitsikoulis, à Bloomberg na segunda-feira.

“Quanto menor a oferta, maior o preço. Em última análise, é o consumidor que paga por isso”, disse Pitsikoulis.

Importadores canadenses dependem de caminhões para transportar frutas que chegam da América do Sul para portos no nordeste dos EUA, diz Larry Davidson, presidente da North American Produce Buyers Ltd. em Toronto.

No fim de semana anterior à entrada em vigor da obrigatoriedade canadense da vacina, a empresa tinha apenas um caminhão disponível para pegar 75.000 caixas de uvas na Filadélfia, disse ele.

“Trinta e seis das 37 cargas que estavam prontas para retirada tiveram que esperar quatro ou cinco dias”, disse Davidson, cuja empresa envia produtos para todo o Canadá. “Estamos vendo o efeito dominó continuar.”

LEIA TAMBÉM: Suprema Corte dos EUA bloqueia ordem federal de vacinação em grandes empresas

Paralisação

Diversos caminhoneiros canadenses planejam também uma grande paralisação ainda em janeiro e campanhas para ajudar financeiramente os profissionais durante as paralisações ganham força a cada hora na Internet.

A campanha Freedom Convoy 2022 (Comboio da Liberdade 2022) no GoFundMe já arrecadou mais de 280 mil dólares canadenses de quase 4 mil doadores em apenas 3 dias no ar; a meta é atingir 300 mil dólares nos próximos dias.

“Para nossos compatriotas canadenses, o tempo para o abuso político acabou. Nosso governo atual está implementando regras e ordens que estão destruindo a base de nossos negócios, indústrias e meios de subsistência. Os canadenses têm sido parte integrante da estrutura humana que de muitas maneiras moldaram o planeta.”

“Somos um país pacífico que ajudou a proteger nações em todo o mundo de governos tirânicos que oprimiram seu povo, bem, agora está acontecendo conosco. Estamos levando nossa luta às portas de nosso Governo Federal e exigindo que cesse todos os mandatos contra seu povo. Pequenos negócios estão sendo destruídos, casas estão sendo destruídas e pessoas estão sendo maltratadas e [tendo] negadas as necessidades fundamentais para sobreviver. É nosso dever como canadenses acabar com esses mandatos. É imperativo que isso aconteça porque, se não o fizermos, nosso país não será mais o país que viemos a amar. Estamos fazendo isso para nossas futuras gerações e para recuperar nossas vidas.”

“Estamos pedindo Doações para ajudar nos custos de combustível, alimentação e hospedagem para ajudar a aliviar as pressões dessa árdua tarefa.
Mas é um pequeno preço a pagar por nossas liberdades. Agradecemos a todos por suas doações e sabemos que vocês estão ajudando a remodelar este país outrora lindo de volta ao que era.”,
diz Tamara Lich, organizadora da campanha de arrecadação de fundos.

- PUBLICIDADE -

ÚLTIMAS