EUA rejeitam exigência da Rússia; Putin promete “retaliação”

Os Estados Unidos rejeitaram nesta quarta-feira (26) a exigência da Rússia de barrar filiação da Ucrânia na OTAN; declaração anterior de chanceler russo prometeu retaliação em caso de negativa americana.

O secretário de Estado, Antony Blinken, disse que Washington estabeleceu um “caminho diplomático sério” para Moscou para resolver o confronto, em uma carta particular ao governo russo entregue nesta quarta-feira.

“Não estamos divulgando o documento publicamente porque achamos que a diplomacia tem a melhor chance de sucesso se fornecermos espaço para conversas confidenciais. Esperamos que a Rússia mantenha a mesma opinião e leve nossa proposta a sério.”, disse Blinken.

No entanto, ele enfatizou: “Deixamos claro que existem princípios fundamentais que estamos comprometidos a defender, incluindo a soberania e a integridade territorial da Ucrânia, e o direito dos estados de escolher seus próprios acordos e alianças de segurança”.

Retaliação Russa

Conforme noticiado pelo Direto da América mais cedo, a Rússia alertou mais cedo, já na quarta-feira (26), que tomará rapidamente “medidas de retaliação” se os EUA e seus aliados rejeitarem suas demandas de segurança, aumentando a pressão sobre o Ocidente em meio a preocupações de que Moscou esteja planejando invadir a Ucrânia.

A Rússia exige garantias de que a OTAN nunca admitirá a Ucrânia e qualquer outra ex-nação soviética como membro da aliança. Os russos exigem também que a OTAN reverta o envio de tropas em outros países do antigo bloco soviético.

“Se o Ocidente continuar seu curso agressivo, Moscou tomará as medidas de retaliação necessárias”, disse o ministro de Relações Exteriores russo, Sergey Lavrov.

LEIA TAMBÉM: Rússia alerta para retaliação imediata contra EUA se demandas não forem atendidas

- PUBLICIDADE -

ÚLTIMAS