EUA diz que invasão da Ucrânia pode ocorrer nos próximos dias

Os EUA acreditam que o presidente russo Vladimir Putin pode ordenar a invasão da Ucrânia a qualquer momento. As portas para uma saída diplomática já estariam fechadas.

A Casa Branca disse para que americanos na Ucrânia “saiam imediatamente” nas próximas 24 a 48 horas devido à possibilidade real de invasão russa. A Grã-Bretanha diz a seus cidadãos o mesmo, assim como Israel. Os EUA teriam falado com aliados da OTAN na manhã desta sexta-feira (11), segundo a correspondente da Fox News no Pentágono Jennifer Griffin.

Durante coletiva de imprensa na tarde desta sexta-feira (11) na Casa Branca, o Conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, Jake Sullivan, disse que já “estamos na janela [de tempo] quando uma invasão pode começar a qualquer momento”.

A Rússia reuniu tropas suficientes perto da Ucrânia para lançar uma grande invasão, disse Sullivan. Um ataque russo pode começar a qualquer dia e provavelmente começaria com um ataque aéreo, segundo ele.

Quatro fontes do governo americano teriam dito à Reuters que o EUA enviará 3.000 soldados extras para a Polônia nos próximos dias para tentar ajudar a tranquilizar os aliados da Otan. Eles se somam aos 8.500 já em alerta para emprego na Europa, se necessário.

Depois de dizer à NBC News que as coisas na Ucrânia “podem enlouquecer rapidamente”, Biden fez uma ligação sobre a crise com os líderes da Grã-Bretanha, Canadá, França, Alemanha, Polônia e Romênia, bem como os chefes da OTAN e da UE.

Ainda durante a entrevista, Biden diz que não vai resgatar americanos na Ucrânia, como noticiou mais cedo o Direto da América: “Como se faz isso? Como você consegue encontrá-los? Eu espero que [Putin] seja inteligente o suficiente p/ não fazer nada que possa impactá-los negativamente”

Ele afirmou ter dito isso a Putin, mas segundos depois, disse que não.

Após essa reunião e com a propagação do alarme, o primeiro-ministro britânico Boris Johnson juntou-se a outras nações para instar seus cidadãos a deixar a Ucrânia.

LEIA TAMBÉM

Leia também