Empresas de todo o mundo cortam laços com a Rússia

Grandes corporações estão anunciando publicamente que estão cortando os laços com a Rússia em meio à guerra com a Ucrânia, o que deve gerar grande prejuízo na economia russa.

Shell e BP, dois grandes players da indústria global de petróleo, anunciaram esta semana que deixarão suas posições de investimento em empresas russas. Elas se juntam a uma lista de corporações que procuram se distanciar da Rússia após a invasão da Ucrânia em 24 de fevereiro.

FORD. O CEO da Ford divulgou um comunicado dizendo que “com efeito imediato, a Ford está suspendendo nossas operações na Rússia e tomando medidas para apoiar o Global Giving Ukraine Relief Fund”.

APPLE. A declaração da Apple condenou a violência e pediu paz. “Pausamos todas as vendas de produtos na Rússia. Na semana passada, paramos todas as exportações para nosso canal de vendas no país. Apple Pay e outros serviços foram limitados. RT News e Sputnik News não estão mais disponíveis para download na App Store fora da Rússia. E desabilitamos tanto o tráfego quanto os incidentes ao vivo no Apple Maps na Ucrânia como medida de segurança e precaução para os cidadãos ucranianos.”

FEDEX/UPS. As principais empresas de entrega postal fazem anúncios semelhantes de que a situação nesta parte do mundo é instável demais para garantir a segurança geral de seus serviços.

A FedEx optou por “suspender temporariamente os serviços de entrada e saída para a Ucrânia e o serviço de entrada para a Rússia”.

A UPS optou por uma suspensão temporária geral para a Bielorrússia, Rússia e Ucrânia.

MAERSK/MSC: Duas das principais empresas de transporte internacional de contêineres anunciaram que estão “interrompendo as reservas de carga de e para a Rússia”, segundo a CNN. As medidas são resultado das sanções impostas contra a Rússia por governos internacionais. A exceção nestes casos são as necessidades humanitárias.

Outra empresa de transporte marítimo, a CMA CGM, também suspendeu todas as reservas de e para a Rússia na terça-feira (1) “por razões de segurança”.

“Nossas maiores prioridades permanecem proteger nossos funcionários e garantir o máximo possível a continuidade de sua cadeia de suprimentos”, disse a empresa.

FIFA/UEFA. “A FIFA e a UEFA decidiram hoje (terça-feira 1°) em conjunto que todas as equipes russas, sejam representantes nacionais ou equipes de clubes, serão suspensas da participação nas competições da FIFA e da UEFA até novo aviso”, diz o comunicado.

DIRECTV. Na terça-feira (1), a DirecTV anunciou que cortaria “imediatamente” os laços com a emissora Russia Today (RT).

FACEBOOK. Até agora, o Facebook removeu os recursos de anúncios para RT e, em seguida, restringiu ainda mais o acesso a esse canal, bem como ao Sputnik na região da União Europeia.

YOUTUBE. O YouTube seguiu um padrão semelhante ao Facebook quando se trata de suspender os recursos de anúncios antes de bloquear diretamente esses canais na UE.

TWITTER. A resposta do Twitter é reduzir a visibilidade de tweets vinculados à “mídia estatal da Rússia”.

AIRBUS. A Airbus anunciou na quarta-feira que deixará de enviar peças de reposição para a Rússia e encerrará o suporte às companhias aéreas russas.

BOEING. A Boeing anunciou na terça-feira (1) que suspendeu peças, manutenção e suporte técnico para companhias aéreas russas e encerrou todas as suas operações em Moscou.

EXXONMOBIL. A principal petrolífera dos EUA, ExxonMobil, anunciou na terça-feira (1) que está saindo de um grande projeto de petróleo e gás na Rússia e deixará de investir no país.

SHELL. A Shell se juntou à lista de empresas de petróleo e gás que estão cortando laços com a Rússia. A gigante de energia anglo-holandesa anunciou que estava saindo de suas joint ventures com a empresa estatal russa de energia Gazprom e outras entidades relacionadas, que no total valem cerca de US$ 3 bilhões.

MASTERCARD/VISA. A Mastercard e a Visa bloquearam certas atividades russas de suas redes de pagamento na terça-feira (1) para cumprir as sanções internacionais.

“A Visa está tomando medidas imediatas para garantir o cumprimento das sanções aplicáveis e está preparada para cumprir as sanções adicionais que possam ser implementadas”, disse a empresa em comunicado na terça-feira.

As sanções exigem que a Visa suspenda o acesso à sua rede por entidades listadas como Cidadãos Especialmente Designados, também conhecidas como empresas ou indivíduos agindo em nome do país sancionado, segundo a Reuters.

A Mastercard disse em comunicado semelhante na segunda-feira, “como resultado de ordens de sanção, bloqueamos várias instituições financeiras da rede de pagamento Mastercard. Continuaremos a trabalhar com os reguladores nos próximos dias para cumprir integralmente nossas obrigações de conformidade à medida que elas evoluem.”

JAGUAR LAND ROVER. A Jaguar Land Rover interrompeu a entrega de seus carros para a Rússia devido a “desafios comerciais”, disse a montadora em comunicado, aludindo às sanções impostas ao país.

“O atual contexto global também nos apresenta desafios comerciais, por isso estamos pausando a entrega de veículos no mercado russo e monitorando continuamente a situação em nome de nossa base global de clientes”, afirmou.

A Jaguar Land Rover se une à Volvo no corte da venda de carros para a Rússia.

GOOGLE. Um dia após a proibição de anúncios do Meta, o Google, da Alphabet, fez o mesmo, impedindo o meio de comunicação estatal russo RT e outros canais de receber dinheiro por anúncios em seus sites, aplicativos e vídeos do YouTube. O Google também proibiu os meios de comunicação financiados pelo Estado russo de usar sua tecnologia de anúncios para gerar receita em seus próprios sites e aplicativos.

BP. A BP anunciou que estava diminuindo sua participação de 19,75% na gigante de energia estatal russa Rosneft, o que provavelmente resultará em um golpe de US$ 25 bilhões no grupo de energia britânico.

Em uma carta à equipe no domingo, o CEO da BP, Bernard Looney, escreveu que a empresa pretendia sair de quaisquer atividades relacionadas na Rússia com a Rosneft, e que ele e o ex-CEO da BP, Bob Dudley, renunciariam imediatamente ao conselho da Rosneft.

EQUINOR. A produtora norueguesa de petróleo e gás Equinor disse na segunda-feira (28/2) que sairá de suas joint ventures na Rússia e interromperá todos os novos investimentos no país. A Equinor tem uma parceria com a Rosneft que inclui projetos em toda a Sibéria.

NORUEGA. O primeiro-ministro da Noruega disse no domingo que o fundo soberano de US$ 1,3 trilhão do país, o maior do mundo, venderá todos os seus ativos russos. “Decidimos congelar os investimentos do fundo e iniciamos um processo de venda”, disse o primeiro-ministro Jonas Gahr Støre em entrevista coletiva.

O fundo possui ações em cerca de 47 empresas e títulos do governo russos, que no total valiam 25 bilhões de coroas norueguesas (US$ 2,83 bilhões) no final de 2021.

DAIMLER. A maior fabricante de caminhões do mundo, a Daimler Truck, disse na segunda-feira que “suspenderia imediatamente todas as nossas atividades comerciais na Rússia”, incluindo um contrato com a fabricante de caminhões Kamaz para fabricar veículos civis.

LEIA TAMBÉM

Leia também