China proíbe entrada de quatro americanos de comissão religiosa

China proíbe entrada de quatro pessoas de uma comissão de liberdade religiosa dos EUA, disse o Ministério das Relações Exteriores Chinês na terça-feira, após as sanções dos EUA neste mês contra o regime comunista e entidades por acusações de abusos dos direitos humanos em Xinjiang.

As quatro pessoas, da Comissão dos Estados Unidos sobre Liberdade Religiosa Internacional (USCIRF), estão banidas da China continental, Hong Kong e Macau, disse o porta-voz do ministério Zhao Lijian.

O presidente, o vice-presidente e dois comissários da USCIRF vão ter a entrada proibida, disse Zhao.

LEIA TAMBÉM: Pentágono diz que China já é a terceira potência aérea do mundo

Os Estados Unidos disseram que as sanções de 10 de dezembro foram em resposta aos abusos dos direitos humanos na região de Xinjiang, na China, onde uigures e outras minorias muçulmanas teriam sido detidos ilegalmente, maltratados e forçados a trabalhar. A China nega abusos em Xinjiang e diz que suas políticas ajudam a combater o extremismo.

EUA vai incluir DJI e mais sete empresas chinesas em lista negra

O Tesouro dos Estados Unidos anunciou no início de dezembro que vai incluir oito empresas chinesas, incluindo a DJI, maior fabricante de drones comerciais do mundo, em uma lista negra de investimentos por suposto envolvimento em ações de vigilância da minoria muçulmana uigur, na China, informou o Financial Times na terça-feira. Leia a matéria completa.

LEIA TAMBÉM

Leia também