China ameaça responder com força se Pelosi visitar Taiwan

A China alertou os EUA que responderá com força se a presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, prosseguir com uma visita a Taiwan, ilha que o Partido Comunista Chinês reivindica como parte da China.

Taiwan conta com apoio bipartidário nos Estados Unidos com diversos membros do Partido Republicano defendendo a ida da democrata à Taipei, capital do país.

Pelosi planejava visitar Taiwan em abril, mas adiou depois de testar positivo para COVID-19 e se recusa a discutir os planos de viajar para a ilha nas próximas semanas.

A visita de Pelosi pode coincidir com as comemorações chinesas do aniversário da fundação do Exército de Libertação Popular, a ala militar do Partido Comunista Chinês. As comemorações ocorrem em 1° de agosto.

Segundo a Casa Branca, há um telefonema planejado entre o presidente Joe Biden e Xi Jinping.

A administração Biden monitora por qualquer movimentação da China para fechar o Estreito de Taiwan; A Casa Branca prefere que Nancy Pelosi cancele sua viagem, informou o New York Times.

A China, segundo algumas análises, pode achar o momento apropriado para uma ação militar contra Taiwan, uma vez que os EUA poderia estar ‘ocupado’ com a Ucrânia e incapaz de conduzir dois conflitos simultaneamente.

Uma ação bem sucedida da China contra Taiwan neste momento também pode renovar as ‘credenciais nacionalistas’ de Xi Jinping frente ao Congresso do Partido Comunista Chinês em novembro.

Taiwan Conduz Exercícios Militares

Falando na terça-feira, 26 de julho, durante exercícios militares em preparação para uma possível ação militar chinesa, o porta-voz do Ministério da Defesa de Taiwan, Sun Li-fang, disse que os militares estavam monitorando todos os movimentos de navios de guerra e aeronaves chineses ao redor da ilha. “Ao mesmo tempo, temos a confiança e a capacidade de garantir a segurança do nosso país”, disse Sun, segundo a Associated Press.

‘Ameaças Mais Fortes Dessa Vez’

Em reportagem do Financial Times, publicada no sábado, 23 de julho, citou seis pessoas familiarizadas com os alertas chineses dizendo que eles eram significativamente mais fortes do que as ameaças que Pequim fez no passado quando estava descontente com as ações ou políticas dos EUA em Taiwan.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China confirmou a postura na segunda-feira.

“Estamos seriamente preparados”, disse o porta-voz Zhao Lijian a repórteres em um briefing regular, quando solicitado a comentar sobre a notícia de que a a China pretende responder com força se Pelosi manter sua viagem para Taiwan.

“A Pelosi deve ir a Taiwan e o presidente Biden deve deixar bem claro ao presidente Xi que não há nada que o Partido Comunista Chinês possa fazer a respeito”, disse o senador de Nebraska Ben Sasse, um republicano que quase nunca se alinha com a democrata. “Chega de fraqueza e auto-dissuasão.”

Quando perguntado para que tipo de resposta a China estava “seriamente preparada” e se seria uma resposta militar ou diplomática, Zhao disse: “Se o lado dos EUA estiver determinado a seguir seu próprio caminho, a China tomará medidas fortes para responder resolutamente e contrariar.”

“Os Estados Unidos devem ser responsabilizados por quaisquer consequências graves”, acrescentou.

Pelosi não confirmou quando, ou mesmo se, ela visitará Taiwan, mas o presidente Biden disse na quarta-feira, 20 de julho, a repórteres que militares dos EUA acreditavam que tal viagem “não era uma boa ideia”.

DDDDDDD

LEIA TAMBÉM

Leia também