Biden exporta 5 milhões de barris de petróleo de reserva estratégica americana para China e Europa

Mais de 5 milhões de barris de petróleo da Reserva Estratégica de Petróleo dos EUA foram exportados para a Ásia e Europa no mês passado, informa a Reuters. A liberação de barris da reserva americana visava abastecer mercado doméstico em meio à disparada nos preços da gasolina para os americanos.

Entre os carregamentos, diz a Reuters, citando dados da Alfândega dos EUA, estavam dois cargueiros com 560.000 barris cada um da Atlantic Trading & Marketing, parte da francesa TotalEnergies. E a Phillips 66, a quarta maior fornecedora de petróleo dos EUA, enviou cerca de 470.000 barris de uma instalação de armazenamento no Texas para Trieste, na Itália, onde um oleoduto alimenta refinarias na Europa central.

As exportações de petróleo do Golfo do México, nos EUA, foram recorde no segundo trimestre de 2022, de acordo com a Rystad Energy.

A administração Biden vem liberando petróleo da Reserva Estratégica de Petróleo para, supostamente, tentar reduzir os preços dos combustíveis para os americanos.

A taxa de liberação dos barris está em um ritmo recorde, com cerca de 1 milhão de barris de petróleo sendo liberados por dia, levando o estoque para o nível mais baixo desde 1986 no mês de junho.

No início do mês passado, o galão médio de gasolina nos EUA atingiu o valor recorde de US$ 5.

Com temores de recessão, o valor do barril registra queda globalmente, o que vem ajudando a conter novas altas no mercado doméstico americano.

Em 2 de julho, o presidente Joe Biden resolveu culpar os postos de gasolina no Twitter por manterem os preços altos. Muitos postos de gasolina nos EUA, diferentemente do Brasil, são pequenos negócios, com margens de lucro pequenas e muitas vezes geridos em âmbito familiar.

“Minha mensagem para as empresas que administram postos de gasolina e estabelecem preços na bomba é simples: este é um tempo de guerra e perigo global. Reduza o preço que vocês estão cobrando na bomba para refletir o custo que vocês estão pagando pelo produto. E façam isso agora.”, disse o presidente em tom autoritário.

Em resposta ao tuíte do presidente, Jeff Bezos respondeu com críticas à maneira como a administração trata a questão.

“Ouch. A inflação é um problema muito importante para a Casa Branca continuar fazendo declarações como essa. Ou é um direcionamento errado direto ou um profundo mal-entendido da dinâmica básica do mercado.”

DDDDDDD

LEIA TAMBÉM

Leia também