Biden anuncia mais sanções mirando oligarcas russos

Na quinta-feira (3) a administração Biden anunciou mais uma rodada de sanções contra a Rússia, agora mirando oligarcas próximos de Putin.

Em comunicado, Casa Branca anunciou que as novas sanções apreenderiam iates, apartamentos de luxo, dinheiro e outros bens pertencentes a oligarcas russos na jurisdição dos EUA.

Entre os alvos está Dmitry Peskov, um porta-voz proeminente do Kremlin. Alisher Burkhanovich Usmanov também será atingido pelas sanções.

A Casa Branca descreveu Usmanoz como “um dos indivíduos mais ricos da Rússia e um aliado próximo de Putin” e disse que ele e sua família serão impedidos de usar seu superiate – que acabou de ser apreendido pela Alemanha – nos EUA, bem como sua propriedade privada e jato.

Os outros oligarcas russos sancionados incluem: Nikolai Tokarev, Boris Rotenberg, Arkady Rotenberg, Sergei Chemezov, Igor Shuvalov e Yevgeniy Prigozhin.

Seus cônjuges e filhos também estão incluídos nas sanções.

“Esses indivíduos enriqueceram às custas do povo russo, e alguns elevaram seus familiares a cargos de alto escalão”, disse a Casa Branca. “Outros estão no topo das maiores empresas da Rússia e são responsáveis por fornecer os recursos necessários para apoiar a invasão da Ucrânia por Putin.”

Os Estados Unidos anunciaram na quarta-feira (2) outras sanções pela guerra contra a Ucrânia, desta vez visando a indústria de defesa da Rússia e sua aliada Bielorússia.

A Casa Branca divulgou “restrições abrangentes à Bielorrússia para sufocar sua importação de bens tecnológicos em resposta ao seu apoio” à guerra da Rússia.

Também anunciou “sanções que visam o setor de defesa da Rússia” para “impor custos significativos às empresas russas de desenvolvimento e produção de armas”.

“Os Estados Unidos e nossos aliados e parceiros não têm interesse estratégico em reduzir o fornecimento global de energia – e é por isso que retiramos pagamentos de energia de nossas sanções financeiras”, disse a Casa Branca em comunicado, acrescentando que as sanções sobre a indústria de refino de petróleo prejudicará a indústria petrolífera russa enquanto ainda protege os consumidores americanos.

ESPAÇO AÉREO FECHADO. O presidente Joe Biden anunciou durante o Estado da União na terça-feira (1) o banimento de aeronaves russas do espaço aéreo dos EUA, juntando-se a um número crescente de países que estão fechando seus espaços aéreos para a Rússia após a invasão da Ucrânia.

As ordens da Administração Federal de Aviação (FAA) dos EUA entraram em vigor na quarta-feira (2) e suspenderam operações de todas as aeronaves pertencentes, certificadas, operadas, registradas, fretadas, arrendadas ou controladas por, para ou em benefício de um cidadão russo.

Isso inclui voos de passageiros e de carga e voos regulares e fretados “fechando efetivamente o espaço aéreo dos EUA para todas as transportadoras aéreas comerciais russas e outras aeronaves civis russas”, disse o Departamento de Transportes.

“Esta noite, estou anunciando que nos juntaremos aos nossos aliados para fechar o espaço aéreo americano para todos os voos russos, isolando ainda mais a Rússia e adicionando um aperto adicional em sua economia.”

“Ele não tem ideia do que está por vir.”, disse Biden durante o discurso de terça-feira (1).

LEIA TAMBÉM

Leia também