Republicanos do Texas pedem referendo popular para separação dos EUA

Tempo estimado de leitura: 4 minutos

O Partido Republicano do Texas delineou sua intenção de pressionar por um referendo popular perguntando aos texanos se desejam que o Texas se separe dos EUA e volte a ser uma nação independente como foi por um curto período de tempo entre o período que se libertou do México até o a filiação à União; proposta é parte de um documento de seu comitê de Plataformas e Resoluções.

O documento foi produzido durante a convenção do Partido Republicano do Texas em Houston, durante a qual também votou por rejeitar a legitimidade das eleições de 2020, classificando o presidente Joe Biden como presidente em exercício dos EUA.

De acordo com o documento, o Partido Republicano do Texas propôs que qualquer “legislação imposta pelo governo federal que infrinja os direitos do Texas na 10ª Emenda deve ser ignorada, contestada, recusada e anulada”.

“O Texas mantém o direito de se separar dos Estados Unidos, e o Legislativo do Texas deve ser convocado a aprovar um referendo consistente”, diz o documento.

No documento, o Partido Republicano do Texas também pediu aos legisladores estaduais que permitam o povo do Texas votar “para determinar se o Estado do Texas deve ou não reafirmar seu status de nação independente”. Pela proposta do GOP estadual, essa votação estaria na cédula em 2023.

Eleições de 2020

Além de seu pedido de secessão, o Partido Republicano do Texas também pediu aos legisladores estaduais que investigassem a acusação de fraude eleitoral.

“Pedimos a aprovação de uma emenda constitucional que dê ao procurador-geral do Texas jurisdição concorrente para processar fraudes eleitorais junto com os promotores distritais do condado”, dizia o documento da plataforma do Partido Republicano.

Matt Rinaldi, presidente do Partido Republicano do Texas, disse: “Os republicanos do Texas, com razão, não têm fé nos resultados das eleições de 2020 e não nos importamos quantas vezes as elites nos digam que precisamos. O Partido Republicano do Texas está arrecadando fundos recordes para a integridade eleitoral, e fizemos da integridade eleitoral uma prioridade para garantir que o Texas nunca siga o caminho da Pensilvânia, Geórgia ou Arizona. Nós nos recusamos a permitir que os democratas manipulem as eleições em 2022 ou 2024.”

A resolução afirma: “Eleição de 2020: Acreditamos que a eleição de 2020 violou os Artigos 1 e 2 da Constituição dos EUA, que vários secretários de estado contornaram ilegalmente suas legislaturas estaduais ao conduzir suas eleições de várias maneiras, inclusive permitindo que as cédulas fossem recebidas após 3 de novembro de 2020. Acreditamos que fraudes eleitorais substanciais nas principais áreas metropolitanas afetaram significativamente os resultados em cinco estados importantes em favor de Joseph Robinette Biden Jr.

A nota do partido sobre as eleições de 2020, que pode ser lida na íntegra no site do partido, reforça que “Rejeitamos os resultados certificados da eleição presidencial de 2020 e sustentamos que o presidente em exercício Joseph Robinette Biden Jr. não foi legitimamente eleito pelo povo dos Estados Unidos. Instamos fortemente todos os republicanos a trabalhar para garantir a integridade das eleições e comparecer para votar em novembro de 2022, trazer seus amigos e familiares, voluntariar-se para seus republicanos locais e superar qualquer possível fraude”.

Trump celebra documento

“Olhe para o Grande Estado do Texas e sua poderosa plataforma do Partido Republicano na fraude eleitoral de 2020”, escreveu Trump no Truth Social, a plataforma de mídia social que ele fundou como alternativa ao Twitter. “Depois de muita pesquisa e estudo, eles recusam o resultado nacional para presidente.”

O diretor de comunicações do Partido Republicano do Texas, James Wesolek, disse ao The Hill na segunda-feira, 20 de junho, que a resolução que o partido aprovou não faz parte oficialmente da plataforma e foi aprovada por voto de voz dos delegados. Cada delegado precisou votar a favor ou contra 275 propostas para a plataforma, e os resultados devem ser contabilizados nesta semana.

LEIA TAMBÉM

Leia também