Intel vai construir a maior fábrica de chips do mundo em Ohio; investimento será de US$ 20 bilhões

A gigante de tecnologia Intel anunciou na sexta-feira (21) a construção das suas próximas fábricas de chips, as maiores do mundo, no estado de Ohio. Essa será a primeira de outras seis novas plantas previstas pela companhia para esta década nos EUA.

A produção local visa atender a várias necessidades, disse o CEO da Intel, Patrick Gelsinger, durante um evento na Casa Branca. Os chips construídos lá não apenas reduzirão as pressões da cadeia de suprimentos, disse ele, mas também reforçarão a segurança nacional dos EUA, trazendo mais empregos de tecnologia para a região.

As duas fábricas vão estar em um parque industrial em um terreno de 1.000 acres em Licking County, a leste de Columbus, e deve criar 3.000 empregos na empresa – muitos deles de altamente qualificação – e 7.000 empregos na construção. A instalação apoiará dezenas de milhares de empregos adicionais para fornecedores e parceiros, disse a Intel e autoridades locais e estaduais na sexta-feira.

Imagem de satélite do projeto do parque industrial da Intel em Ohio.

A expectativa é que outras indústrias se instalem na região para atuar em parceria com a Intel, criando um hub tecnológico na região central de Ohio.

O investimento da Intel é o maior já feito no estado, mas o subúrbio de Columbus em New Albany, onde a Intel construirá as duas fábricas de chips, já viu um influxo de data centers, incluindo da Amazon.com Inc, da Meta do Facebook e do Google da Alphabet Inc.

Em agosto passado, o Google aumentou seu investimento em New Albany em US$ 1 bilhão.

“Instalações como (as fábricas da Intel), todos esses empregos são altamente qualificados”, disse a secretária de Comércio Gina Raimondo falando no anúncio em Ohio. “Toda essa fabricação em todos os níveis, não apenas os doutorados, exige uma certa quantidade de treinamento”, acrescentou.

O presidente Joe Biden usou o anúncio da Intel em Ohio para empurrar um projeto de lei de US$ 52 bilhões aguardando aprovação da Câmara que investiria no setor de chips e ajudaria a garantir que mais produção ocorresse nos EUA, segundo o projeto.

“Vamos investir nos Estados Unidos”, disse Biden na Casa Branca. “Estamos investindo em trabalhadores americanos. Vamos carimbar tudo o que pudermos, ‘Made in America’, especialmente esses chips de computador.”

A construção começará em um par de fábricas na área de Columbus ainda este ano e deve terminar em 2025.

LEIA TAMBÉM: Com medo do regime, Intel pede desculpas à China

Desde o início de 2021, a indústria de semicondutores anunciou quase US$ 80 bilhões em novos investimentos nos EUA, de acordo com a Semiconductor Industry Association. Isso inclui um investimento de US$ 30 bilhões no Texas pela Texas Instruments, uma fábrica de US$ 17 bilhões da Samsung no Texas e uma nova fábrica da Global Foundries no estado de Nova York.

No meio do ano passado, o Senado dos EUA aprovou um projeto de lei chamado Lei de Inovação e Concorrência dos EUA (USICA), que inclui US$ 52 bilhões em investimentos federais para pesquisa, projeto e fabricação de semicondutores domésticos. O projeto aguarda votação na Câmara.

- PUBLICIDADE -

ÚLTIMAS